sexta-feira, 23 de junho de 2017

Passos...

Onde os Passos Vão
O Som
A Mão
Escreve Solidões

Rios
Isolamentos
Ruas

Lugares - Você!
Ouvi Falar - Ouvi Dizer...
Passar - Precipitar
O Silêncio
Que há no Ar
Em mim
No Folego
Não Basta
Vai me Lavar - Levar

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Inverno dos Dias na Cidade Cinza

Invernos
Dos Dias
Do Cais - Do Caos
Gélido Racha a Pele
Congela o Ar - Vazio

A Garoa
Escorre - Enruga Papéis
Corpos Tremem
Dói nos Ossos Tortos

Na Tocaia dos Versos
A Cidade Cinza
Prossegue
Fria
Sem Guia
Sem Poesia.

As Dores da Alma

Erros
Acertos
Partidas
Devagar - Intuindo

O que Ninguém Sabe
Poucos Preferem Falar
Ver...
Escrevo mais uma Vez...
Na Estrada - Perco a Lucidez
Caminhando Cansado
Frenando Versos
Fracassando nas Partituras Circulares
Torno-Me: Desenho - Poeta e Poesia
Para Sentir - Percorrer
As Dores da Alma e suas Linhas
Como São...

sábado, 17 de junho de 2017

A Dança dos Arbustos

Arbustos
Dançando no Vendaval
Para Afugentar
Fuligens
O Som faz Cantar
Volver
Nostálgicas Canções
Do Tempo Integral
Real
Da Saudade Absoluta
Resoluta
Trova Sonora
Agora

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Sentidos

Sentidos
Do Ser
Sentidos dos Caminhos
Percepções Sensoriais
Experimentais

Sensíveis
Intangíveis
Espirituais

Transcendem Mundos
Exóticos
Mares - Dentro e Fora da Terra
Intimista
Etérea
Efêmera... 

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Coisas Arrazoadas

Cestos
Cheios de Letras
Vidas
Cheias de Tudo

Ações Imprevistas
Conflitos
Vaidades Mostras
Verdades

Traições
Existências
Ilusões
Coisas Arrazoadas Demais

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Amparo...

Amparo
Letras e Linhas Anuais
Não Vão mais Embora
Nem o Coração Para
Nem o Amparo Para!
Cruzam Periferias
Amparando Almas Desgarradas
Amores, Carinhos Antigos - Muros.
Devagarinho fez Aniversário
Todas as Artes Cantando
O Vento Venta nas Frestas
Constrói e Reconstrói - Movimenta - Perfuma
Costumes Libertos
De Resistência e Ocupação
Sem Fim, Presente Sempre!


* Poema confeccionado para o Aniversário de Um Ano do Amparo Literário - Cidade Tiradentes - Perifa SP. Junho de 2017.
E.Y.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

A Semente

Seiva Poética
Chove no Caminho
Acomodam Ilusões,
Lembranças
Poeira
Vida
Cenários Escritos
Insuportáveis Intempéries
Tempestades
Quebram as Asas
Transportam Sementes
Pra Gente Germinar
No Sol
No Vento
No Tempo

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Falta a Palavra

Insuficiente Palavra
Tempo que Passa
 - Presente
 - Duro
 - Fechado
Não Aquece
Morno
Suficiente
Para o Amanhã

Vento Reluzente

Vento Reluzente
Brinde a Face
Frio...
Significativo Nada
Garantia de Poesia Nova
Outra
Diferente
Obsessão Escrita
Falha ao Funcionar
Sílabas e Flexões
Vou Trocar
Acento Triste
Teima em Existir
Sem Luz para Acender
Guardo Folhas
Em Branco
De Estimação

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Páginas de Vácuos

Páginas de Vácuos
Vazias nas Tardes
Repletas de Nada
Ar
No Devir Histórico
Resistem - Ocas
Completas Atmosferas
Obsoletas
Alguém
Com Sorte
Vai Apreciar

domingo, 28 de maio de 2017

Falange Sonora

A Fala
É Lâmina Afiada
Pode Cortar
Seres e Coisas
Bocas e Falanges
Alagadas de Fel
Fragmentos Sonoros
Gritos - Ecos
Não Deixam Adormecer
Terminam em Pontos
Nem Sempre são Contos
Vivenciando a Trama
Minha Alma
O Eu
O Corpo Dança... 

terça-feira, 23 de maio de 2017

Miope Visão do Paraíso

Estilhaços do Tempo
Memórias Perdidas
Miopia
Transforma em Pedaços
Visões do Paraíso
Perdoar para Existir
Direitos e Deveres
Assombram
Hordas Estúpidas Marcham
Não Pertenço
Nesse ou Neste Relento
Apenas Lamento


Labirinto Alfabético

Perceba
Sem Cerimônia
Os Auspícios
Fardos Fartos
Perdido no Labirinto Alfabético
Sonhos Verbais
Alimentam
Textuais Temores
Tremula Mão
Desliza Sob e Sobre Ruas Lágrimas
Escrita do Amanhã
Profunda - Misteriosa - Sem Rumo - Arrastada
Nas Revoluções Impuras
Existenciais 

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Círculos Fluindo

A Chuva Cai
Fina Fria
Outono Invernal
Encerra Ciclos
Encerra Amanhãs
Forjam Escritas Pouco Eternas
Contam Espaços
Calha a Chuva Cair
Vento - Água
Tragam o Calor Suave
Novos Círculos
Vão Caindo
Fluindo... 

domingo, 21 de maio de 2017

Palavra Controversa

Palavra Controversa
Conversa Poética
Diversas Concordâncias
Iludindo
Concepções Artísticas
Esgotando o Tempo

Resta
O Segundo Temporal
Para Escrever
Para Sonhar

terça-feira, 16 de maio de 2017

Praça Vazia

Encontro
Na Praça Vazia
Periferia sem Mapa
Dobra a Esquina
Perdem-se as Cartas
No Muro - O Pixo - Escrito a Mão
Coisas ou Lixo?
Abandonadas nas Ruas - Muros
 - Encontro em lugar algum...
Som
Buzinas
Acidentes
Veículos Abandonados
Pessoas...
No Último Suspiro
Encontro o Primeiro Vocábulo
Na Praça Cabulosa
Caminho e Sento
De Baixo para Cima.

Silêncio Circular

Inspiração
Sentimento que Estarrece
Delicadeza Perdida
Apetece os Medos
Aroma Grafite
Renova a Folha Alva
No Silêncio Circular
Toca Desenhos
Letras
Esgotam Vazios
Sem Acalanto

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Outono 17

A Luz
Do Outono é Diferente
Dias e Noites

Cores Suaves 
Laranja
Azulado
Rastro

Folhas Dispersas
Precipitam 
Acariciam Faces

Diante a Estação
Contemplo
O Tempo Tecido

domingo, 14 de maio de 2017

Molhando as Palavras

Água
Límpida
Água
Ardente
Dependência Etílica
Física - Mental
Faz Cair
Nos Lençóis Subterrâneos
Molha as Palavras
Mata a Sede - Mata o Ser
Alegre Balança
Social
Oferta ao Santo
Ao Chão
Maltrata os Órgãos Interiores
Aquece - Esquece
Inspira
Entorpece Angústias
Essencial
Para os Dias
Ébrios

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Miragem Fugaz

Regras - Têm de Mais
Mágoas Também
Anexos nem Se Fala
Dias
Fins
Escorrendo Tempos
Fervendo o Sangue
Conservando Vinganças

Grite!
Declame!

Antes que a Morte Trague
Miragem Fugaz
Incendeia Esperanças
Tudo Flui
Além das Letras
Das Existências
Todas 

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Passagens Mentais

Frio
Vento
Apartando
Passagens Mentais
Ares Passados
Aerados
Uivos ao Vento
Caminho Lento
Sem Ser Poesia
Residem
Resistem
Ainda Existo

terça-feira, 2 de maio de 2017

Chicoteando Palavras

Palavras e Flores
Ofegavam Cansadas
Muitos Tentavam Arrancá-las

Chicotear
Desfolhar

Colorindo
Suspirando
Resistem

Vão Quebrando Caules

As Folhas Caem
As Palavras Dizem
As Flores - Exalam Surreais Perfumes...

E.Y.

Ensurdecedor Silêncio

Silêncio
Soa Alto Demais
Ancorado no Coração
Bombeando Dores
Em Todas as Direções
Angústias Globulares
Melancolia Disfônica
Poemas Perdidos
Ainda Agonizando
Gritam
Desejando sua Leitura
Portas
Janelas
Prisões
Fechadas
Sinceras.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

...Desejando Você...

Poema do Novo Livro “Aquarelas”
Desejo
Amor Sereno
Regados a Licores Corporais
Belas Margens - Belos Corpos
Esplêndida Batida do Coração
Lábios e Suspiros
Cantando Volúpias
Beijo Doce
Delírio Ardente
Mãos Cantando o Fogo
Tremulo Lampejo
Delirantes Amassam
Falas Obscenas - Coito Deleite
Transe - Gozo Fogoso
Ardente como deve Ser
Amantes dos Dias
Das Noites
Das Volúpias Todas
Cantando
Cantando
Cantando...

domingo, 30 de abril de 2017

Rotas Poéticas

Rotas Poéticas
Sonhos Abstratos
Entropia dos dias
Percursos Estéticos
Inusitadas Pinceladas
Ilustram o Livro
Vida
Ambígua - Espessa - Imaginária
Camadas Brutas - Suaves
A Resistência Cansada - Densa
Nostálgica e Sensível
Longe dos Círculos Aliados
Vertente Crítica Emociona
A Vanguarda esta Vazia - Caótica
Letras - Versos & Verves
Enferrujam Plenamente
Esperando a Ilusão do Sucesso
Sem Lirismo
Sem Glória
Sem Ar...

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Horizonte Sem Filtro

Horizonte
Sem Filtro
Sem Brilho
Sem Dentes
Distante - Cego - Poluído

Estou Preso no Barro
No Fundo do Poço Seco
Sem Margens para Ancorar

Devagar - Sem Ritmo
No Asfalto Descansava
Apavorado - Sem Voz
Essa e Esta são Vidas que Se Perdem
Incauto Ouço Profetas do Fim do Mundo
Pensamento Quadrado
Admiro a Lua Cinza
Clamo Por um Leitor
Que não saiba Ler...

terça-feira, 25 de abril de 2017

O Sol...



O Sol Anda muito Baixo

Posso Sentir suas Membranas

Suando tomo um Chope

Sua Claridade vai Cegando

Sem Árvores - Sem Sombra

Escaldando ao Sol

Grupos Mudos

Faces, Braços e Pernas.

Queimam ao Sol

Verão Eterno

Olhares Devoram

Uns aos Outros

Avenidas e Ruas Ardem

De Volta as Suas Casas

Morrem Queimados

Honrados...

domingo, 16 de abril de 2017

Face Açoitada

Estas - Essas Palavras
São Simulacros
Infelizes Até
Navego Longe do Inimigo
 - Não Silêncio
Observo o Fenômeno
Assim Sempre Ocorre
Mas, Perde a Originalidade.
Sem Reação
Pensamento Ação
Desfeito
Impuro
Abafado
Sobressai em Mim
Endurecem a Cada Jornada
Na Face Açoitada
Bradam Tantas Palavras
Couraças
Máscaras Grotescas
Sem Forma
Formam o Ser

sábado, 15 de abril de 2017

A Contenda

Combates
Divergentes
Diálogos Ausentes
Opiniões
Mundos Ausentes
Tão Diferentes
Palavras Velhas
Virtuais
Fora do Centro
Espalham Dor - Desamor
Convivendo
No centro do Ódio
Almas Pregressas
Sem Pensar - Com Pesar
Máscaras não Caem
Calcificaram nas Faces Vazias
Interiores Nos Olhares
Violência dos Dias
Fria Superficial Visão do Amor - Virtual...
Tufão Cibernético
Estimula Vazias - Iras
Desligar Horrores
Conectar novas/velhas Vidas
Sem Fim - Recomeço - Conclusão