segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Ungido pelo Santo óleo da Cachaça

Foto: Les Très Riches Heures du duc de Berry Février.

Crônica dos Dias
Nos dias de cada artesão da palavra, uma falange de anjos & demônios zombeteiros passeiam dentro e fora da mente criadora. Na alegria e na tristeza ponho-me a dissertar sobre densos pensamentos, mares de lágrimas e mucosas do mês de Fevereiro. Procurando as nascentes de poesia.
Ungido pelo santo óleo da cachaça vou escrevendo os dias, cada dia sufocado pelo próprio ar, pelo espanto, pela visão lendária. Tomo desse ungüento até o dia clarear, com a esperança insana de bordar palavras em sedas claras no meu santuário sagrado de aniversário.
No auge da embriaguez poética, é possível sonhar em ver vidas e pensamentos através das tuas...
Infinitos horizontes claustrofóbicos, cheios de certezas e dúvidas, é possível ver as cores vibrantes do pensamento, nessa vigília insana eu vou, marcado pelo Arcano 22 do Tarô - O Louco. Errante peregrino vai a passos lentos, pensamento noturno de jardins do céu cada vez mais longínquos. Cambaleante artista artesão da sugestão.
Os matizes são reluzentes, porém não alegres e sim entregues, despojados das folhas em branco, das roupagens frias, emitem ecos de luz no lugar de som.
A vontade é soberana em permanecer dentro do ungüento, impele a vomitar uma seqüência frenética de palavras desconexas. Exorcizando o Arcano 22 em direção ao Mar. Os matizes pegam fogo, versos em chamas com a voz apartada da palavra final. Míope vista que não enxerga o Mar salgado, mas sente a maravilhosa lufada da brisa bendito-maldita. Desperto ao teu redor, redor de versos becos molhados, solares distantes, transpassando os horizontes agora sem ungüentos mágicos, apenas com o Máximo devaneio do doloroso e sepulcral despertar tal qual a insuportável leveza da pena.
Toda essa dissertação desencadeia uma tempestade magnética de pensamentos, ativação mental de ventos da discórdia, relembrando chagas lacrimais. Supremo é o Ser Louco completo em sua plenitude e saber, sem rimar com a vida toda, sem ritmar, sem fronteiras & sem vergonha.
A voz vaga passeia pela via, ascendendo velas, incensos e pagando promessas pelo despertar, pelo paraíso infernal de venturas e suspiros. Que eloqüência errante e sublime essa de dissertar devaneios tão sem sentido, são espelhos oblíquos, iluminados nos dias de Fevereiro.
Everaldo Ygor
03.02.2008

30 comentários:

Bernardo Lima disse...

Po, será que está realmente hébrio escrevendo deste jeito?!
rsrs
mt bom o post...
abraço!

[sempre uma boa visita, viraté aqui]

http://reflexoesdeumlouco.blogspot.com

Johnny M. disse...

Esse é o verdadeiro batismo de fogo,
dando um golinho de cana pro diabo e outro tanto pro santo.

Sub-stancia disse...

Nossa..
realmente vc tem talento,
o blog está bem legal..
abraço

http://sub-stancia.blogspot.com/

Edu Perondi disse...

legal o post
show teu blog
flww

Anônimo disse...

muito bom esse blog

Nana Lopes disse...

Bacana a postagem e linda a imagem do periodo gótico!!

Mateus disse...

"Olá, me chamo Mateus, sou paulistano do bairro da Aclimação, tenho 26 anos, sou médico e R2 de Psiquiatria. Daqui a exatamente um ano, 5 de Fevereiro de 2009, dia do meu vigésimo sétimo aniversário, vou me suicidar. O meu suicídio, ao contrário da maioria dos suicídios, não será fruto de uma atitude passional ou desesperada, não, e a maior prova é a sua data marcada arbitrariamente. Sou excêntrico, é verdade, entretanto os motivos para fazer as coisas dessa maneira vão muito além da minha excentricidade(...)"

http://ultimoano.wordpress.com

* hemisfério norte disse...

Diz-me por favor onde está a nascente da poesia, hummmmm será que só funciona com cachaça? É que eu não gosto de cachaça.... :( e quando me faltar a inspiração onde vou se n sei onde fica a fonte???? Já tentei ir na farmácia, mas eles dizem q não têm. Bjs,
a.

Kemp disse...

Sempre domando muito bem a arte da boa escrita, meu velho! Parabéns!
E bom último dia de descanso aí!
Kemp

Osmar Mesquita disse...

cara muito bom...
apesar de algumas coisas que estao ai eu nao acreditar usahsua

mais fico bom o texto e vc disserta muito bem..
parabens msmo mano..
abraços

Marcelo disse...

Ungido pelo santo óleo da cachaça foi ótimo... rs rs rs

Arne Balbinotti disse...

Acho que realmente cachaça, óleo e santidade não se misturam muito bem...
Mas o texto ficou bem misturado, de acordo com a mão é lógico.

Abel disse...

Muito legal o texto,

A ação é conduzida cusando estranhamento, mas dá um bom tom com o tema.

Afinal a mente criadora viaja mesmo... e isso até que se assemelha aos devaneios em alcool.

Parabéns!
Abel

Fred disse...

cara... isso parece mais uma poesia do qeu uma cronica... cheio de sentimentos... achei super bacana http://florestadeloucuras.blogspot.com/

Gugu disse...

Muito bom seu blog, essa postagem melhor ainda. Parabéns!! Depois passe no meu: www.gugumarinho.globolog.com.br

Paulo Alonso disse...

gostei!! mto bom o post
abç

Rodrigo Morais (a.k.a. Piscina) disse...

kkkkkkkkkkkk.

Ungido pelo santo óleo da cachaça foi ótimo... [2].

Muito bom.

Vírgula Antenada disse...

Extraordinário...
Vi uma mulher em algum lugar, em vários, não sei. Será que ela era o motivo ou a salvação?
Cada trecho delicioso e quente, que não daria para escolher nenhum e citar, sem pecar.
E o ébrio? Como é charmoso, interessante, eloquente.
Fascinante!

Jornaleiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
blog disse...

Um texto hermético, o qual lerei outras vezes porque, a meu ver, tem passagens que beiram um simbolismo muito particular. Vc lida com a subjetividade à flor das palavras, cara. É o tipo de texto que - pelo menos a mim - não é absorvido com imediatismo.
Voltarei a ele ainda hoje, espero.

Tatiana C. Mendes disse...

E cá continuamos nós na busca incessante pelo verso mais concreto, juntamente com a rima mais encantada, mesmo que estejamos cerceados de ritmos loucos, ouvidos por outros ainda mais insanos, mergulhados no “Santo Óleo da Cachaça”.

E nestes meses, outrora distantes, quando se passam na forma de anos que já se foram, que ficam somente na lembrança que certa feita fora mergulhada no tal líquido alcoólico... memórias ficam fracas... Escassas.

E no momento insano do “Santo Óleo da Cachaça”? As nascentes poéticas secam, apesar das águas caírem aos montes dos céus. Este mês está chuvoso... Bendita seja a chuva! Mesmo que nascentes poéticas estejam escassas, outras nascentes, de outros mais, “chuvosos” de natureza e coração, continuam repletas no ato de nascer e brotar, não menos sedentas, a nos banhar...

Espero sempre passar por aqui e me banhar! De palavras, versos, diversos, alguns até desconexos... Mas sinceros, de um verdadeiro, e “chuvoso”, poeta!

- Que venham mais devaneios!

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

É mergulhado em cachaça que fazemos os nossos melhores trabalhos.

Ou não. =p

adilson jorge disse...

Tenho paixão por crônicas, acho que são informativas e a leitura é gostosa. Parabéns pelo blog.


Abraços,
http://www.blogonews.blogspot.com/

Debora Hegedus disse...

ungido pelo santo oleo da cachaça?
kkkkkkkkkkkkkkkk
só vc.... feliz aniversario atrasado? beijão!!

PS.: Cade o DVD ô?

Danilo Moreira disse...

Blz? Te indiquei pra um selo lá no meu blog. Confira!!!!

Abçs!!!

----------------------------------
http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS...
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.

Novo texto: É Um Blog Muito Bom, Sim Senhora!!
----------------------------------

Betho Sides disse...

Vim conhece-lo...Impressionou-me voraz, elouquente, gostei voltarei com certeza, mesmo que vc esteja entre Deus e o demônio! ...abçs

Carlos Senna disse...

Se escreve assim bebendo imagine sobrio quanta coisa produziria.......
Brincadeiras de lado, gostei do que li e vou colocar um link na revista amigos web para sua pagina na segunda feira, conheça a gente.
http://www.revistaamigosweb.com/
Desculpe a brincadeira abraços Carlos Senna.

sarda disse...

Que Baco continue a iluminar-lhe nesses seus momentos tresloucados, para que continue a nos brindar com suas inspiradas reais-fantasia.

Tatiana C. Mendes disse...

Olá Everaldo! Você é absolutamente incrível. Escrevi sem fazer a relação das iniciais com OSSO e SOS, mas... adorei!

E viver é OSSO mesmo, não é? Mas por ser OSSO é tão bom... Tão bom que muitos sugam, tal OSSO, até o final, até não restar mais rebarba nenhuma de carne no mesmo... Coisas de quem tem fome em excesso, você não acha?

Desculpe-me pela demora para te dar minha resposta na forma de agradecimentos. Estava viajando.

Um abraço!

Henrique Felippe disse...

maravilhoso texto... uma visita sempre agradável sua casa proporciona...

Henrique
Vai Vendo...