segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

COIVARA

FOTO: Everaldo Ygor

COIVARA

Ardor do Fogo
Queimou os vermelhos campos do coração
Fumaçou Outros Poemas
Em brasa o Arcanjo Índio observou

Lua Cheia de Instante Lucidez - Insensatez
O Tempo transpôs, tornou-se
Noites de Lua Minguante
Alumiadas pelo fogo - nuvens escuras.
Trovões & Raios
Fumaçou outras mentes
De cinzas quentes
Brasas cáusticas
De ossos envelhecidos - olhos enfastiados
Eclipsadas em Letras Ocultas
Saboreando Sortilégios Poéticos

São lápides de chama
Verticais – Horizontais
Fumaçou verdades perfídias
Vertigens & Depressões Sazonais
Matando a sede de Fogo & Cinzas

Sobraram apenas
Mandingas Antigas & Livros Velhos
A Minha, especial
Poesia Mineral...

Everaldo Ygor
Nos dias alheios de Fevereiro
Lua Cheia - Lua Minguante.

43 comentários:

Debora Hegedus disse...

HAHAHA MELÔ DO DESEMPREGADO!
Gostei monsieur!

putz, o escondidinho de ontem tava otimo, ainda bem q vc nao tava aqui pra compartilhar! kkkkkkk


beijovski

blog disse...

É uma descida aos Infernos, camarada.
Rimbaud, Pynchon e Flaubert, todos misturados.
Mas, até onde vi, de uma subjetividade intrínseca demais, quase hermética.
De qualquer forma, vale.

Anônimo disse...

Rsrsrs!
Doideira psicodélica!

blog disse...

Continuando: essa descida aos infernos, essa coivara da qual vc fala, é a própria alma humana e suas dúvidas, traumas, desejos, etc?
Fogueira que queima tudo ou apenas alguns gravetos e pouco fogo?

Tatiana C. Mendes disse...

Coração queimando em brasas...
Campos por hora secos,
Outras horas, não! A chuva sempre vem, demora, mas vem.

Poemas enfumaçados costumam ser os mais belos,
Incógnitas cobertas por cinzas, sentimentos a serem descobertos. Os bons, ou maus, não importa, - sentimentos!

Raios e trovões, tempestades, que por vezes trazem, após, a calmaria... Mas o fogo continua! Será que a tempestade não deu conta do fogo? Descer até abaixo da terra não é tão ruim assim! Que é céu? Sem resposta, inferno então... Sem “sem” algum.

Eis que o mistério das letras ocultas permanece...
Será que alguém desnuda e vislumbra, ou padece?
Tem quem goste, eu gosto!

E gosto mais ainda da mandinga que restou... Um resto absoluto, que de resto não tem nada!

E os dias continuam alheios a tudo... Correm, sem cessar, não querem saber se são lágrimas de mar, corações em brasas, ou mandingas na forma de um todo poético!

“Meninas (meninos) boas (bons) vão pro céu, as (os) más (maus) vão para onde querem”.

Um abraço,
Tatiana C. Mendes

Karen Lima disse...

um pouco confuso, mas interessante, me fez imaginar!
belo texto!

beijos, até mais...

Aline Dias disse...

sabe que eu lembrei de dante.
mais com a imagem e tal. comecei condicionada a reler a divina comédia como imaignei de névoa e gente voando.

young vapire luke lestat news disse...

Hoje você me fez pesquisar no dicionário, a palavra COIVARA, mas valeu pelo aprendizado,
Mais uma palavra para o meu português falho.
Esta sua poesia tem sua marca registrada, brincar num intrínseco abstrato para no final tudo fazer todo o sentido transformando palavras em emoção...
Amigo é sempre um prazer.Vim ao seu blog e ler estes belíssimos poemas.

um grande []s do fan L.Sakssida

Andréa Cristo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréa Cristo disse...

Com subjetividade intrínseca demais? Dios! Lo que hay que oir (y ler) en estos campos estériles de intelectualidade sintética!

Everaldo. simplesmente suntuoso teu poema, cheio de
surrealismo, mas que transmite força, com matizes de sofrimentos e inquietude. Muito bom. Beijos

dbaskt disse...

muito bom.


wwwlocupletado.wordpress.com

* hemisfério norte disse...

lua cinza
lua cheia
lua eclipse
lua alheia
lua tua
lua minha
lua de lua

bjs
a

rato contra a vassoura disse...

demaisssss
os únicos poemas que me atingem o âmago da alma são os sonoros

como esse

blog disse...

"Eclipsadas em letras ocultas / Saboreando Sortilégios Poéticos" é Cruz e Sousa puro.

Lobo-13 disse...

Poema legal amigo :D
a fotu tbm ;)


http://fodasticosdanet.blogspot.com/

ericrifferama disse...

Belo blog , muito bem sacado e ótimos textos !! parabens !
abçs

Matheus disse...

A imagem fico show, o poema tbm e muito bom mas e meio confuso!!! abraços!!!

Rafael disse...

Viajo legal nos seus lírismo.
Quase nunca compreendo. Mas admiro a maneira que brinca com as palavras e os sons que elas produzem.

Abraços saudosos também. \o/

young vapire luke lestat news disse...

Já comentado.......

http://young-vampire-luke-lestat-news.blogspot.com/

post denuncia : o que vc não sabe, sobre o "cofre do fim do mundo"
A matéria é longa + deve ser lida por todos......

Kemp disse...

Muito bonito! Me remete a um filme com pajés...
Onírico!

Andréa Cristo disse...

Ei Ygor, ja comentei este aqui, mas quero deixar um alõ e um beijo no teu coração.

osátiro disse...

Poema lindo, como o da Tatiana...

Isabelle disse...

Adoro poesias!
E escrevo poesias também!

Dragus disse...

Bela poesia sobre si mesmo.

Katarina disse...

Bela poesia e belo jogo de palavras! A qualidade literária é incrível e vai muito além da minha simplicidade emocional.

Tathynha disse...

Oies!
Adorei seu blog!
E vai ficar na minha lista de favoritos!
bjsssssssssss

Camila disse...

Lindo poema, belo blog...
Parabéns!!!!
Abraços!!!!

joão m. jacinto & poemas disse...

Felicito-o pelo seu blog e pela poesia!
Abraços poema!

blog disse...

Everaldo, espero por uma nova postagem.
Enquanto isso, releio algumas.

Vírgula Antenada (Denise Machado)... disse...

Bom, curta e sem grosseria: poesia perfeita, linda, como sempre.
Tem selo pra vc no Vírgula.

Lalo Oliveira disse...

A poesia sempre resta no final, bem lembrado.

Janine disse...

psicodélico demais :D
muito bom ;]

Groo Veiga disse...

Sua poesia traz boas imagens...ecos de Rimbaud por aí? E um "que" de Blake nessa mistura toda...

Natália Coelho disse...

Não entendi muito,mas creio que seja bonito!

Obrigada pelo comentário!
Um dia ainda escreverei como vocÊ!
abraço

Iti Martins disse...

curti .. massa msm ..
parabéns pelo blog, ele ta show... abra

Zanfa disse...

Já sei o que foi isso, você quis ver o eclipse da lua mas alguém estava queimando lixo atrás de casa, ai não dava pra ver.

Não?

aehUEAhueaHUAe

Abraços Everaldô. =p

Mega Balaio disse...

É uma poesia muito louca, viajando com as palavras e com o pensamento!

Conquistadores (Didixy) disse...

Gostei muito das fotos, totalmente original.

Realmente devo confessar que vc me fez pesquisar sobre essa palavra que eu nunca tinha visto: "COIVARA". Mais uma que aprendi.

abs

Isabela disse...

Muito bom o poema.

E "melo do desempregado" foi ótEmo... rsrs!

squirrel disse...

nossa que poema louco,mto foda ele

bjs

Iti Martins disse...

massa.. chique.. rsrrs

Leonardo Dognani disse...

achei bem interessante o simbolismo no poema, e as metáforas usadas tb^^
bem construído^^

bem legal, e gostei tb do "licantropo", em geral no seu blog tem ótimos assusntos^^

vamos nos ver mais vezes^^

Abraços.

Arthurius Maximus disse...

Mais uma vez, um poema inreigante e cheio de emoção... excelente.