quarta-feira, 23 de abril de 2008

L e t r a s - C i n t i l a n t e s

Letras Cintilantes
As letras,
Os versos,
As lanças - Danças
As gotas
Irradiam sons, cores – erros.
Luminosidades douradas, solitárias
Vertem murmúrios luzes
Ora prazer – Ora uma boa reza.
A chuva passou, mas seu som não foi incandescente
O sol veio fraco, em forma de alucinação,
nasciam sonhos
Distante inenarrável
Incompleta ode

Ruído voraz vagueia
Silencia a vida passeia...
Não quero rimar
Nem remar, quis poetar

Águas ressoam frestas cintilantes – Abarrotam Linhas & Crateras
E o desejo rodopiando letras remanescentes
São nascentes de destinos bailarinos.
Nascemos para dançar, para bailar...
Everaldo Ygor
De 19 até 23 de abril 2008.

37 comentários:

Juú Carvalho disse...

1º comentário desse post...
Que honra!!!!
Simplesmente, cada vez melhor. E eu cada vez me encanto mais ao passar por aqui.
Você é incrível, é um mago das palvras, nas suas mãos, elas são sentimento.
Esse poema novo esta muito perfeito (quem soui eu para definir perfeição, mas garanto que dentro dos meus conceitos, ele esta sim, perfeito)
A hora em que li, juro que imaginei, uma sala de aula com uma professora de literatura lendo explicando esse poema para sua sala e explicando a eles a relação dele com o outro, o que isso teria a ver com a sua vida e quais foram as figuras de linguagem que você usou.
Não tenho mais palvra...Você é quem tem todas ^^

Sou como você me vê... Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me vê passar. disse...

Um poeta!!! Lindas palavras... Lindo poema!

Patrycia
acendedordelampadas.blogspot.com

Mayna disse...

Linda a poesia!
Tem sentimento e as palavras são cintilantes, assim como o que escreveu!

http://maynabuco.blogspot.com

Gabriel disse...

Belo Poema...
Da mesma forma que o silêncio tem barulho, as letras também tem, sem sombra de dúvida. Você colocou isso muito bem.
Abraços!

www.gabrielcalegari.com

blog disse...

Uma boa declaração de amor à própria poesia que vc pratica.
Metalinguagem pura, límpida, e ainda marcada por aquele abstracionismo peculiar, Everaldo.
Interessante (eu já disse isso): vc mantém a fórmula, varia nos significantes e não entedia o leitor.
Mas corre riscos, eu acho.

Grande abraço

Susanna Martins disse...

Um poema maravilhoso! Acho grandiosa essa sua habilidade de brincar com as palavras em forma de poesia. Vc mostra a essência de cada rima, de cada letra; de uma certa forma vc enumera cada palavra.
Conseguiu traduzir todo um sentimento que sentes.
Abraços

Susanna Martins

* hemisfério norte disse...

e em silêncio da vida
rodopio ao som da chuva
e cintilo
bjs
a.
http://miniminimos.blogspot.com/

Aprenda a Divulgar Seu Site. disse...

Bacana o poema.

Parabéns.


HypeNET - Veja os vídeos mais engraçados da internet/youtube

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-

Cartografia, Georreferenciamento, GIS, Geoprocessing, Remote Sensing,
Home broker, Homebroker, World Cup In Brazil 2014 - FIFA, Extreme Sports Point - See greatest videos, Psico-ativo, SEO, Pagerank, Pagina, Google, Milionário, dinheiro, Camping, Viagem, Acampamento, Acampar

DuDu Magalhães disse...

Nem mesmo o autor da obra consegue entende-la 100%
Por que eu teria né...
gostei das tuas palavras, belas, e irradiam paz e amor...
o que falta em nossa sociedade hoje em dia..

abrass

http://visaocontraria.blogspot.com/

Gustavo J. Barreto disse...

puta muito bom, amei teu poema, realmente lindo, parabéns pelo blog e pela escrita. T+

Nina Ferreira disse...

Minha nossa, quanta sensibilidade!

Só me resta agradecê-lo.

Obrigada pelo seu talento!

Um grande beijo.

Thiago Elias disse...

Cara na vdd só entrei pra comentar por causa da comunidade escritores de blog, este poema me parece de um parnasianismo ruim sinceramente...

caio arroyo disse...

Naao entendi muito bem o significado de algumas partes, mas as palavras que voce utiliza ficam bonitas mesmo assim

dbaskt disse...

Não sou muito fã de poesia mas os seus textos eu estou gostando muito.

abraço!

www.locupletado.wordpress.com

Emely disse...

Cirandando por aqui e Sorrindo!
*Paz

LI-VERISSIMO disse...

ESPLENDIDO!!!
adorei todas, cada uma tem a sua excencia e sensibilidade...
PARABÉNS.

VOLTAREI COM CERTEZA.

:)

Bjs!

Dan Leony disse...

Dizeres muito inteligentes meu caro, seu blog é show..!!
Parabéns!!!

UNDERGROUND. disse...

Poema legal!

=D

http://www.fliperama-underground.blogspot.com/

..................................................................Tathynha disse...

Oieeeeeeeeeee
Adorei seu post!
Adorei o jeito q vc fez as palavras dancarem...
Bjs

O Fênix disse...

escreve de forma forte e precisa
otimo

http://terradafenix.blogspot.com/

Katarina disse...

Realmente rimar e poetar são coisas diferentes... Você é poeta! Se bem que a sonoridade desse poema poderia até transformá-lo numa música...

Abraço.

gredilha marcio disse...

Belo poema...
A dança das palavras é uma verdadeira relíquea :

"Luminosidades douradas, solitárias
Vertem murmúrios luzes"

Lindo demais! Parabéns!

Abraços :
Poeta de rua
Estrelando Soneto
Politicando Brasil
.

Denise Machado disse...

"A chuva passou, mas seu som não foi incandescente
O sol veio fraco, em forma de alucinação"

Estou com dor, na alma, no corpo. Eu não estou bem e hoje vc foi a falta de bálsamo que procuro,porque quero sentir a dor até que ela se acabe.

Vc é necessário pra mim, amigo Livro.
Um poeta extraordinário. De uma técnica brilhante e uma sensibilidade três vezes maior que ela.

Reinan New Fase disse...

Oi,

Nossa, esse texto esta muito lindo e profundamente tocante, rs!

abraços...

________________________________________

http://reinannewfase.blogspot.com/

Dih da Pâhzinha... disse...

Nossa muito bom!!!
Mais uma vez consegui ler um poema que nao é melancolico!!!

PARABÉNS

http://dihdusbeko.blogspot.com/

Veiga disse...

belo texto!

Rose disse...

Muito bom!!! Essa poesia é ótima
e a imagem combina muito com ela.
Adoro poesias e você se expressa
brilhantemente.
Curioso que escolhi o mesmo modelo
de template pro meu blog, e assim
como você eu também adiciono foto
às minhas postagens. :D
Sucesso!

Nina Ferreira disse...

Obrigada!

E você, brilhante nos versos como sempre!

Beijão.

Ariana disse...

Lindo! Amei!


Beijos

* hemisfério norte disse...

passei só para deixar um bj
:)
http://miniminimos.blogspot.com/
a.

o'Ricci disse...

"This is the mystery of the quotient - Upon us all a little rain must fall."

A chuva sempre me instigou... interessante que esse poema me remeteu diretamente a uma música do Led: The Rain Song. Não necessariamente pela temática, como pareceria óbvio, mas pelo ritmo. Você já teve a oportunidade de recitar essa peça enquanto a chuva cai?

Net Esportes disse...

Grande Evaraldo, sempre com belas palavras, agora sobre elas mesmas !!!! legal !!!!!!

Abdalan disse...

Muito bom. Gostei do que vi!

abdalan.blogspot.com

Patrícia Andréa disse...

Oi!
Vi seu blog na comu do Orkut e vim conferir!
Achei bem legal!
Passa lá no meu tb:
http://blogdapattyandrea.blogspot.com

LillyBraun disse...

singelo e ao mesmo tempo um poema forte.

parabéns pela sua sensibilidade poética, Everaldo.

Leonardo Dognani disse...

Como sempre, mesmo em postaens mais antigas, nota-se sua veia poética pulsante^^

"Nascemos para dançar, para baiular", será que assim será com todas as letras?
Nós, poetas somos maestros nessas danças de sonhos e sentimentos^^

abraços.

Ruth disse...

I recently came across your blog and have been reading along. I thought I would leave my first comment. I don't know what to say except that I have enjoyed reading. Nice blog. I will keep visiting this blog very often.


Ruth

http://www.infrared-sauna-spot.info