terça-feira, 10 de junho de 2008

Estado de Permanência

Com esse poema a trilogia do Concreto e da tensão das palavras de "1992" termina. Transportados para os dias atuais de Fenecer de “2008”. Todos ligados por um tênue fio, como o surreal cordão de prata que liga nossa alma ao corpo físico...

Permanecer imóvel

Lá as nuvens vão indo

Permanecer imóvel

As ondas rebatem no rochedo

Permanecer imóvel

As ondas recortam as areias

Permanecer imóvel

A estrela cadente rasga os céus

Permanecer imóvel

O vento

Permanecer imóvel

Os animais

Permanecer imóvel

As árvores

Permanecer imóvel

As rochas & montanhas

Permanecer imóvel

A liberdade

Permanecer imóvel

Os homens

Permanecem imóveis

As estátuas

Parecem se mover.

Do Livro Estação Liberdade (Da Existência do Ser) - 1992

De Everaldo Ygor - Poesia Concreta

82 comentários:

disse...

"Andar por aqui" é um prazer sem palavras ...
São lindas as coisas que vi e li!
Parabens pelo trabalho

Abço

blog disse...

O desfecho é brilhante.
O jogo de repetições lembra e.e. cummings, da space poetry.
E as estátuas vão adiante, porque assim tem de ser. Nós, atônitos, observamos.

Sammyra Santana disse...

Os homens
permanecem imóveis
as estátuas
parecem se mover

nossa, perfeito!

Verônica Martinelli disse...

'Parecem se mover.'

termino que pareceu não ter um fim.
Beijos

diarioderolos disse...

Olha, curti o final!

Não sou a melhor pessoa pra falar de poesia, eu gosto, mas me falta a sensibilidade pra perceber todas as mensagensinhas escondidas =/

Beline disse...

Me permita não dizer nada!

Natália disse...

oi Everaldo, valeu pelo comentário no meu blog^^
legal vc ter estudado sobre Quiromancia, eu acho incrível, muito interessante.
Seu blog está muito bonito e bem organizado, parabéns!
___________________
www.atmosferasombria.org

ED CAVALCANTE disse...

A POESIA CONCRETA É A ESCOLA A QUAL O ARNALDO ANTUNES PERTENCE, NÉ? LEMBRO-ME BEM DOS TEXTOS DELE. É O TIPO DE POEMA SEM MEIO-TERMO. AME-O OU DEIXE-O.

* hemisfério norte disse...

permaneço imóvel
e
l
a
s nuvens

permaneço no começo
...co o livro concreto

tua escrita
minha paixão

bjs
a.
http://miniminimos.blogspot.com/

Maximus (dm) disse...

Caracas como seis conseguem intender? dshaudhs

É poucos os poemas escritos de tal maneira que consigo intender, e que acho realmente um bom poema..

Nã falando que é ruim esse ai, mais sendo sincero n itendi o esquema de permancem imoveis:???

Feliz Dia dos Namorados...
_________________________________
www.conquistadoresdm.blogspot.com

Parmitaum disse...

q pira brow... axo q apoesia deixa a gente meio louco... pq existe mil formas de interpretar e garanto que apenas uma era a ideia do autor... =/


abraço

Siegrfried disse...

Gostei dessa andança!
Obrigado pela última visita, e desculpe a demora no retorno do comentário!

Andei, e ando meio ocupado!
Um grande abraço!

Alisson Santana disse...

Acho mágico o modo como os poemas concretos são, muitas vezes,
não-concrtetos como a àgua...
isso é possivel pelo simples fato de serem concretos.

Obrigado pela visita! ^^
-----------------------------------
www.dacordasuapaz.blogspot.com

DAN disse...

Curto muito os seus poemas concretos, sempre muito concisos e profundos...

http://www.pontodcom.blogspot.com/

Mayna disse...

Essa poesia me fez ver como o mundo está ao contrário. Enquanto as estátuas se movem, ficamos inertes e aceitamos tudo o que nós oferecido.

http://maynabuco.blogspot.com

ಌ betinha ಌ disse...

O desfecho foi fodaaa!.
O poema é mesmo tocante e se refletimos... é isso. Como li no comentário ali acima, os seres humanos permanecem imóveis e as estátuas parecem se mover. ''Parecem se mover''... muitoo legal. Ta de parabénsss viu!! Bjãoo..

andrea augusto - angelblue83 disse...

Excelente! Taí um tipo de poema que nunca consegui fazer, Ygor.
Parabéns, vc é sempre uma grata surpresa!

bjimm querido

Danilo Moreira disse...

Belíssimo poema concreto.

Gosto deste tipo de poema, justamente por nos fazer prestar mais atenção ao que está escrito e mexer mais com os nossos pensamentos.

Há momentos em que olhamos para as coisas fazendo o seu papel na vida, e nos deparamos com nós mesmos permanecendo imoveis, deixando o tempo passar.

Acho que de todas as coidas do universo, o tempo é o único que nao permanece imovel.

Abçs!!!

E para você, o que significa SER e TER?

Confira:

----------------------------------
Delírio - Ser e Ter

http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS... 1 ANO
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.
----------------------------------

J.B disse...

não sei se foi aqui que já disse isso antes, mais repito pois nunca é de mais escrever, eu tenho me encantado com os poetas que andam por esses blogs na internet, permanecem imovel,permaneço imovel, as estatuas definitivamente movem-se, simplesmente adorei o seu poema, muito bem feito tecido com muito talento e tecnica de linguagem, parabéns! estive vendo os outros posts, são muito bons...

Maiara Maria disse...

Faz um tempo que não venho até aqui, ainda hoje me lembro daquele post de uma foto com um monte de coisas bonitas suas.

Seu poema está muito bom, bacana a idéia de brincar com nexos, construí-los, desconstruí-los, ratificá-los, retificá-los.

Um beijo para você, Everaldo.

Rosangela disse...

Excelente!!

Sem palavras para descrever!!

abç..

Alê disse...

no meu fio,
a liberdade é a única que não permanece imóvel. Ela não me pertence, mas eu não desisto dela.

Tania Montandon disse...

Sim, há uma sutil 'voz' ideológica tentando a todo custo adentrar nossos cérebros ainda que à revelia(permacer imovel, permaneça imovel, o bom é q permaneça imovel, permanecer imovel é o q tem q fazer, permanecer imovel), embora poucos a percebam embora a escutem e dêem tanta importancia a ponto de obedecê-la. Perplexidade! Paradoxo da humanidade, mas isso é o q vemos nessa 'sociedade', que ainda insiste em imobilizar atitudes criativas, saídas do poço de alienação objetal, enquanto tudo o que é natural move-se, simples, ao próprio rítmo, o tempo andando, então abrimos os olhos: quê? estátuas andam?! acho que não, homens que desandam...

Lindo poema!Parabéns!

bjos

Tania Montandon disse...

"Quanto poder o vosso, Palavras!"

Cássia disse...

Muito sutil! Bom de se ler
tem horas que a gente para e o mundo parece se mover

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Nossa, surpreendente essa coisa de papa e papo e coisa e tal.

Ana disse...

Muito bacana o poema... Adorei tb o seu nome com os "ÔM"s no título do blog. Pratica yôga? Eu tb! :-)
Volte sempre no mineiras.
Ana
www.mineirasuai.blogspot.com

Eduardo França disse...

Não conhecia a poesia, mas no derramamento senti logo a poesia concreta, eu gosto muito do gênero, acho a estética, o som, o sentido muito harmônico na poesia concreta!

Tom disse...

Parabéns, que poesia magnifica, achei exlente. São raras as vezes que consigo ler um poesia que me passe algum sentido, e essa sua conseguiu fazer isso, é de vez em quando estamos mesmo paralisados e as estatuas movem-se, belo blog, bela poesia, abraços, lhe encontrei no Blog Comando Contra o Tédio.

Dicas para casais disse...

Adorei.. lindo lindo..

Leonardo luiz lino disse...

ficou legal o texto,vou voltar!
me vista tb!

>> www.topzet.com

Fabricio Fortes disse...

Passo para agradecer pela visita e preciso dizer que gostei muito do que vi.. pretendo explorar mais esse lugar.
visite também http://fabriciofortes.blogspot.com

.a negra. disse...

Obg pela visita viu..
sempre que der esateri pasasndo por aki tb!
Beijus

Dih da Pâhzinha... disse...

è bonzinho o teu poema...

Abraço

http://www.avidanobeco.com/

cassio disse...

Muito bom mesmo!!
Os poemas concretos, sempre muito profundos!
Obrigado pela visita!

Marcelo disse...

A imobilidade do homem dando a aparência de movimento a estátua... legal. Bom jogo de palavras.

Gustavo J. Barreto disse...

lindo, adorei o final, parabéns pelo blog.

Beline disse...

Agora sim, digerida a triologia, mas ainda sem ter compreendido absolutamente tudo, posso comentar algo, certamente aquém do que se espera. Me parce que este desfecho abre portas para um reinicio, que nos leva ler o primeiro, o segundo o terceiro, que nos leva novamente ao primeiro... Sempre repetindo, sempre buscando, mas no fim, nos encntramos no mesmo lugar, andando em circulos. Seria essa uma das funções do seu concretismo? Caio na sua armadilha como um cordeiro tolo!

Amanda Luiza disse...

Poesias são sempre muito complexas para a minha mente...
Mas sei reconhecer, que é um instigante jogo de palavras..

http://www.brevesdevaneios.blogspot.com/

dá uma passadinha se puder...

bjuss

Paulo Roberto disse...

Gostei muito também!
Fiquei imovél agora,
comentario > nenhum.

Susanna Martins disse...

Os homens parecem imóveis diante de tantas situações, e que se meche são as estátuas...
Pelas palavras!!!
Abraços

Stanley Marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Stanley Marques disse...

A maneira pela qual se contrói cada verso, cada estrofe é brilhante. Admirável.


http://www.antologiaracional.com/

Karina disse...

"Permanecer imovel..."

Enquanto o mundo se move,enquanto ninguem se comove, enquanto "desatina sem doer"...

Adorei
Um abraço,Karina.

luandersonplayplay disse...

bem legal.
otimo blog

Leo disse...

Legal!
Gostei deste texto!

Sammyra Santana disse...

tão bom vir aqui...

não vamos deixar q as estátuas troquemd e lugar conosco!

UNDERGROUND disse...

O final é muito massa!

Gostei demais

flw!

Debora Hegedus disse...

Valeu.

O Profeta disse...

PAssei para te deixar um abraço...

* hemisfério norte disse...

passo de novo
e de novo
permaneço lendo

bjs
a.

J.B disse...

de alguma forma quis o destino que retornasse aqui, e foi maravilhoso, reler isso, ontem permaneci imopvel, e definitivamente as estatuas moviam-se, hoje oretendo está em movimento e deixar que as estatuas cumpram o papel da imobilidade...

parabéns novamente!

Breno disse...

Vi seu blog no orkut, entrei por entrar e me surpreendi! Ótimo! Adoro poesia! Imovel, se movem, linhas e borboletas!

rosangela disse...

Olha eu aqui de novo!!

para parabeniza-lo pelo lindo poema!1

abç..

Conquistadores (Didixy) disse...

Como sempre bons textos e altas visitas. Parabéns primeiramente, pois vc merece. Escreve super bem. Textos que nos fazem refletir com certeza;

Katarina disse...

adorei o PAPAPOPAPO...
Copiando a amiga de cima, tb adoro "andar por aqui".
Ótimas andanças as tuas!!

Júnior disse...

Permaneço imovel frente esse poema, muito lindo, muito profundo! fort abraço!

Leonardo luiz lino disse...

Bem legal a poesia cara!

passa lá


>> www.topzet.com
(cinema,séries,música,jogos...)

DuDu Magalhães disse...

Imóvel e andante...

Simplesmente brilhante!


http://visaocontraria.blogspot.com/

Antonoly disse...

Bem interessante e diferente o seu Poema, além de tudo é criativo também!!

www.soscooter.wordpress.com

Pedro Pyratero disse...

Não curto essas paradas
http://pedropyratero.blogspot.com/

cleiton disse...

na verdade os homens sao imoveis....
diante de diversas circunstancias...

Eu nao sou muito fã de poesias, mas de vez em quando passo por alguns blogs do genero, irei indicar este à minha namorada que tambem escreve muitas poesias...
abraços!

danisiinha disse...

permanecer imovel, movendo a alma ... fpoi o que senti ao ler... otimoo

Sonhador disse...

Uau, adorei seu poema...
Permanecemos imóveis por nos conformar, aceitarmos o que nos é imposto, esta foi a minha interpretação, não sei se foi no que estava pensando ao escrever.
Abraço

blog disse...

à espera de que vc retorne aos "simbolismos", aos elementos indefinidos.
Essa concretude não me agrada tanto, embora eu mantenha o que eu disse anteriormente.
Quando volta?

Verônica Martinelli disse...

eeTe deixo um beixo, volte a postar:)

ED CAVALCANTE disse...

JÁ COMENTEI. ABRAÇO!

Lalo Oliveira disse...

Saudações, colega. Dei uma olhada nas três poesias. Gostei especialmente da segunda. Esta primeira, gostei bastante, mas não identifiquei o que há de concreto nela.
Você escreve há um bom tempo. Em 92 eu tinha 3 anos. rsrsrs
Sou um pobre iniciante. rsrs

O fato é que estou tentando voltar à ativa, com algumas mudanças no blog. Apareça por lá. Abraços.

http://www.poeses.blogspot.com

Henrique disse...

Apenas parecem se mexer.
Mentira!
Se mexem em nossa imaginação.

Lana Haydée Kaolin disse...

uau! q bom gosto, hein??

parabéns pelo blog.

http://segredosdehaydee.blogspot.com/

Lucas Soares disse...

"Permanecer imóvel", sem comentar não dá...
Parabéns, gostei do poema!
Parabéns!!!

Bruno R.Ramos disse...

Oi Everaldo,
Nota dez seu blog. Reintero o convite a trabalhar uma publicação em impresso.Se interessar, poderemos desenvolver ótimos projetos comuns. Bem elaborado o texto. Que além da continuidade, mostra um texto metelinguístico em que a linguagem expressa a mesma função estática das idéias dogmáticas e da falta de dinamicidade de alguns pensadores e instituições

ma disse...

Fiquei brincando com a musiquinha que se forma... papapá popô... hehehe Parece brincadeira de criança, sô!
Aparece por lá tb quando quiser, tá bom?
Beijo!
Letícia.

Letícia Castro disse...

Fiquei brincando com a musiquinha que se forma... papapá popopá... hehehe Parece brincadeira de criança, sô!
Aparece por lá tb quando quiser, tá bom?
Beijo!
Letícia.

Mateus disse...

Muito sutil e muito inteligente.
Parabéns!

Mas não fique imóvel nas suas idéias!

:)

joão m. jacinto & poemas disse...

Quero viver
sem oferecer resistência à vida!
Os rios crescem para o mar
e aprendo na sua corrente
a ser livre!


Grato!

Abraços poema,

jmj

Leonardo Dognani disse...

Achei legal a forma!

por um acaso, Imóvel do antonimo de Movel, e o Imóvel como propriedade são usados ao mesmo tempo?
se for está genial!^^

no fim, as estátuas que se movem, podem ser nós^^

Abraços.

Leonardo Dognani disse...

olá meu caro!
^^
estou meio sumido sim, mas espero novas postagens!^^
você tem ótimas idéias e é bom ler coisas de qualidade.
=)

Assim que tiver mais material dá uma passada lá e me avise^^
Abraços!

Dedinhos Nervosos disse...

Nossa... adorei. Adoro a repetição das palavras com um final desse, totalmente contrário.
Maravilhoso.
Bjos.

All3X disse...

Interessante o contraponto entre os versos, as aquilo que parece, é na verdade algo diferente, afinal, se realmente fosse aquilo que parace, ele seria aquilo, e não simplesmente teria uma semelhança apenas. Sei lá, me confundi agora, acho que pareço me mover...

All3X

Jéfte Sinistro disse...

Perfeito! Poesia é isso... É cada olhar criar um universo e nem um deles ser o concreto universo do autor. Brilhante...

Móveis,
Imóveis,
Inertes...
Mentes,
Pulsantes,
Pensantes...

Absurdo
São palavras
Entregues ao fúnebre
Do relento...

Parabéns, amigo! Forte abraço, Jéfte Sinistro (liberdadeaprisionada.blogspot.com)

rosangela disse...

gostei .. principalmente do final onde parece que tudo se revela e faz sendito..

parabéns..

abç..

http://moemaemdebate.blogspot.com/