segunda-feira, 6 de abril de 2009

Línguas

Foto: Everaldo Ygor - Línguas
Ouvido oco
Outono sono
Veias vazias
Sonhos lutos
Reflexos vagos



Vozes gestando invernos...
- Línguas


Nublados ferventes
Selvagem distância
Incerto tempo
Instantes vivos
Alucinada realidade.

Everaldo Ygor - Quaresma 2009.

10 comentários:

Eu amo a E.Y. disse...

Gostei muito da chama em forma de língua. Ficou no contexto da poesia.

Abraço!
http://eu-amo-a-ey.blogspot.com/

Vírgula Antenada disse...

Eita! Que realidade é essa?
Meu caro, aliás, caríssimo Livro, eu não sei como consegue...
É de uma inexplicável leveza e de um terror angustiante por ser tão verdade.
Achei lindo o poema, lindo.

blog disse...

Mas essa é a nossa verdade real. Muito triste, mas absoluta em nosso tempo e lugar.
Que pena.

P. Florindo disse...

Não tenho veia poética. Não entendi.

Lalo Oliveira disse...

É como se cada verso fosse, se não o é, uma coisa à parte! :]

ED CAVALCANTE disse...

Poesia concreta, desconecta, intrigante, elegante. Varia na forma, perde a forma, transforma. Surpreende!

CG FILM PICTURES disse...

Gosto da maneira com que vc escreve, com simples frases, faz um texto tão perfeito.
Beijinhos de Rozangela Melo
Fazemos cinema amador
Visite nosso blog:
www.cgfilmpictures.blogspot.com

Groo disse...

Eu gostei. Os primeiros versos são de uma sonoridade fascinante.

Línguas! Acordei!

Bom mesmo!

Parabéns pela simplicidade e ao mesmo tempo profundidade. Menos é mais.

seuvicio disse...

Mesmas andanças... Já falei q nem curto disso, né?

Anônimo disse...

Uma das coisas mais que mais amei, poema diferente e a foto bela.