terça-feira, 4 de agosto de 2009

O TEAR

Fonte: Google

1
Hum
Uma
Lufada de palavras
Decompondo vocábulos, transformando em letras, números,
modifica-se em pontos, finalmente desaparecendo...
Engrandece pequenos versos – devota-se ao vazio
Contínua desconstrução do verbo verso seco;
Sapatos
Meias
Cachecol
Um tear que tece fios invisíveis - caminhos
Sensações - pensamentos
Coloridos, tecem palavras...
Preso em madeira, nas mãos - cabem vários mundos

No mistério das cores
Tecelão das letras
Vai sorTear vidas.

12 comentários:

Lalo Oliveira disse...

Você quase sempre na metalinguagem. É válido, mas me mantenho longe, enquanto autor, dessa busca de explicações, de conceituamentos e etc.
Mas é válido, muito válido. Quem sabe um dia consigam, consigas.

Abraço

adriano disse...

este é o trabalho dos poeta, tecer as palavras como o tecelão se dedica a formar o tecido que vem de linhas e linhas separadas, mas que depois de juntas, formam a beleza do uno.

Vírgula Antenada disse...

É impressionante como vc domina e chicoteia as palavras...
É sempre uma surra te ler.Gosto tanto de ser masoquista quando estou aqui...

seuvicio disse...

Nas mãos tem dedos, nos dedos tem unhas, o q nada é peixe, qdo for não deixe, bate o cachimbo pequenino, cachimbo de belém!

Feänor disse...

As últimas duas estrofes dão o tempero desta maravilhosa salada poética.

Não é fácil construir poemas metalinguísticos como este, queria eu ter esta habilidade.

Sr. W disse...

É você mesmo que escreve esses versos??
Show *-*
Visite-me se quiser.

blog disse...

Mas o que é escrever senão fiar, tear e nunca concluir, como Penélope à espera?

Sempre uma surpresa, amigo Everaldo.

grijó

Everaldo Ygor disse...

...Tão perfeita foi a obra de Aracne que Atena não conseguiu encontrar nela a mínima falha. Irritada, Atena rasgou a tecelagem em pedaços e golpeou Aracne na cabeça. Aracne ficou muito triste e, em seu desespero, terminou tentando se enforcar. Atena, ao saber o que sua cólera havia provocado, compadeceu-se de Aracne e transformou a corda que ela usara para enforcar-se em uma teia. Em seguida, derramou sobre Aracne fluidos retirados das ervas da deusa Hecate e transformou-a em uma aranha. Dessa forma, Aracne foi salva da morte e, embora condenada a ficar dependurada em sua teia, a beleza de sua arte não ficaria perdida para sempre neste mundo... Do mito de Aracne

seuvicio disse...

Tudo é esse prazer sem dono.

Não-sei-quem disse...

colorido o resultado do seu tear. muito bom!

Anônimo disse...

Maravilhoso.Suave e bom de ler.

Sílc disse...

Everaldo, por favor, se desejar,
vá até Minha Casa e veja uma postagem de sua autoria. Espero que aprecie. Procurei deixá-la linda na minha colcha de retalhos.
Com profundo respeito, amor e carinho,
Sílvia
http://www.silviacostardi.com/