domingo, 4 de abril de 2010

Dias Marinhos - Minerais

Foto: Caramborê - Everaldo Ygor

Estonteantes
São os dias – submarinos, imersos
Vencidos os minutos
Restam as horas - desfeitas

Fracassado o tempo alento
As imagens passam, ficam nuas
Saudades de um emaranhado de estradas tortas
Restos ternos
Falas brancas – confusas no fuso horário
Antigas afugentadas
Complexas águas fluentes - turvas
Salgadas – silenciosas
Mudando sempre o sentido da maré - ligeira.
Na areia à deriva
Deixo mensagens - esculturas minerais

Deixo ela entrar.

9 comentários:

Diógenes Daniel disse...

Nenhum lugar melhor para se esquecer do tempo do que perto do mar =]

Abraço!

Nana Lopes disse...

que coisa linda!
Tanto tempo sem passar por aqui.Estou voltabdo ao mundo dos blogs e agora também como colaboradora de um blog de denuncias contra a midia.Voce esta cada dia melhor.Bjs Nana Lopes

Dica Cardoso disse...

O mar...Perco-me também em seu azul...
pleno!
Abraços no coração!

Cris de Souza disse...

Mergulho intimista...

seuvicio disse...

De fugacidade efêmera ou dinamismo eterno, conforme a perspectiva.

Gladiston Jr. disse...

Realmente, perto do mar que se toma decisões corretas...

Fenix Dualista disse...

O mar renova minha alma, assim como essa poesia banhada pelas ondas.
Há tempos não andava por aqui, mas sempre é tempo de retornar e ler algo revigorante.

Hana disse...

Olá, vim correndo visitar seu espaço, desculpa a demora, estou meio corrida, mas olha adorei aki, aki fico aki te sigo e aki venho te ler, abraço.
com carinho
Hana

Astréia disse...

oi, gostei muito do blog e o indiquei com um selo! Passa lá no meu e pega!

Abração!