sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

VINHO SANGUE

Foto: Everaldo Ygor
Manto vermelho sangue
De vinho em elípticas transparentes
Fogo ao fundo
No findar de mais uma noite
Adivinho o destino.

Mão toda nua
Circunda o manto
Na égide da Lua
Mergulho nas cores difusas
Pulmão de fumaça nua

Circulares poentes, amarelados poemas
Disfarce poético de
Sabores frutados e festas noturnas
Luz de velas, sons aveludados de instrumentos de cordas.
Vozes perdidas escondem desejos
Raízes profundas liberam desejos
Do labirinto vermelho
Nascem
Figuras espectrais dentro e fora do copo

Projetamos o medo do futuro
A doce ventura do vinho tinto seco
De um tempo vivido
Um tempo por vir
Contemplo o tempo cristalino
Em aromas poentes.
Na aurora sensível vinho sangue.

Everaldo Ygor
Janeiro de 2008.

75 comentários:

Vírgula Antenada disse...

Senti tanto gosto e cheiro...
Poema doce, aroma de medo.
Estou embriagada...
Vou lá ler de novo.

Jana Cambuí disse...

Falar de tempo é falar de sangue. Seja pelo que pinta a História, seja pela supressão (morte) dele que vem sendo instrumentada.Gostei muito.

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

E quem não gosta de vinho? =D

Doce companheiro de várias noites. xD

Mazinho disse...

Bom poema... vinho e sangue...


adorei... parabens pelo blog...


http://bombadigital.blogspot.com/

Cara estranho disse...

Parabéns pelo blog, muito bom!
Muito bom o poema também, gostei desta parte:

No findar de mais uma noite
Adivinho o destino.

Abraços

F. Schiffini disse...

Adorei o blog todo!
principalmente o ultimo poema!
beijoooo
tudo de bom

Wuoy vooM disse...

Seu texto tem uma profundidade que me encanta... Suas palavras conduzem o leitor ao êxtase... Parabéns pelo Blog...
Voltarei mais vezes!

Cordiais abraços Lucas Queiroz – Wuoy vooM

camila disse...

Belo poema... parabéns

Meerstempel Badist disse...

o futuro é uma incógnita e tudo que é desconhecido causa medo, entre outras coisas.

Belo texto, Parabéns!

"Se ás pessoas olhassem atrvés do sombrio e do destrutivo els encontrariam a luz no final do túnel" disse...

muito legal e diferente sua poesia

http://merlimopirata.blogspot.com/


comenta lá


bjOO

Anônimo disse...

Vinho e sangue... Bela combinação (não o sangue em si, mas o que ele significa: vida, calor...). Um abraço!
Sueli
http://suefb.blog.uol.com.br/

Antonoly disse...

Belo Poema, parece até que estou diante desse Vinho rsrrsrs...

www.ooohay.wordpress.com

Nathi disse...

Otrimo poema.... deu até pra sentir o cheiro de sangue e de vinho... =)

merlim disse...

rimbaud deve ter se revirado na tumba.. muito bom cara muito bom mesmo.

parabens

Willyan Vinícius Cordeiro disse...

Kra...Uma coisa que me chama a atenção são blogs de poema!!
Um poema, mesmo que simples eh muito bom!!

Por isso que gostei do seu blog!!
Parabéns! Depois faça uma visita lá no meu pra vc poder conferir!!

Abração

Daniel Moura disse...

muito legal brother... é de sua autoria?

slim shady disse...

Lindo texto,só não gostei muito da imagem...

abraço !

gaspar bezerra disse...

lindo texto

Psicopata disse...

Vinho... ah vinho que já esteve ao meu lado muitas vezes...
da-lhe vinho, nosso companheiro da nostalgia
abraço

Dragus disse...

Drácula provavelmente teria esse poema em sua cabeceira ao lado do caixão.

Ficou muito bom e ao mesmo tempo mórbido. =D

amelibela disse...

A disfarça da embriaguez
transpor o tédio num copo do vinho e liberar o sentimento em uma poesia...
Quem pode julgar o poder de uma boa boêmia...
Parabéns pela poesia...

* hemisfério norte disse...

adorei esta embriaguez poética.
:)
bom final de semana
bj
a.

Sadie... disse...

Um dia, há tanto tempo você me visitou lá no meu mundo de fadas, e eu jamais tive a oportunidade de retribuir-lhe e, rrependo-me de não ter visto suas "andanças" antes...
Linda, encantadora e inspiradora suas poesias.

Espero que tenha um dia surreal...
Até mais ver.

Bernardo Lima disse...

belo poema!
gostei da frase da Clarice aqui do lado...
vlw!

coisasqueeuvivendo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
coisasqueeuvivendo disse...

Sou fã dos bons vinhos e ultimamente descobri as delicias das cigarrilhas holandesas. Como diz Wide o cigarro é um prazer completo, pois nos sacia mas deixa insatisfeitos.
Para completar este acompanhamento só um longo beijo na boca.

Lívia Lessa disse...

Seus textos são lindos..envolventes e expressivos!Brilhante!!!

Com certeza visitarei mais vezes!!!

http://livialessa.blogspot.com

Nanamada disse...

Eis que também encontrei um belo blog!!Bjkas e feliz 2008.

"Contemplo o tempo cristalino
Em aromas poentes
Na aurora sensível vinho sangue"

Lindo!!

http://despelacoqueiro.blogspot.com

Sadie... disse...

Encantador de sua parte ter-me dado um pouco de sua atenção...
Vir aqui novamente reforça a idéia de que gosto muito do jeito como escreve...

Sim, já assisti ao filme, mesmo não fazendo tanto tempo, já é um dos meus filmes favoritos...!

Tenha um lindo fim de tarde!

Antonoly disse...

Esse seu Poema está espetacular, bem visual!!

www.ooohay.wordpress.com

hanrrikson disse...

Ótimo poema! Incisivo e com determinado aspecto ébrio, como não poderia deixar de ser...

Parabéns!

http://aforismo.blogspot.com

Maiara Mascarenhas disse...

Sinestésico!

Rharry Belloti disse...

Nossa, muito boa a poesia...sei lá, transmite muita veracidade ao leitor, como diz o cara do 1º comentário, dá pra sentir o gosto e o cheiro.

Adorei seu comentário no meu blog. Beijo.

Carlos Vin disse...

belo poema
Nada melhor do que essa parceria semiotica do sangue e vinho
Uma bela metafora

Vou lá ler pela segunda vez, é sempre melhor qdo se ler mais de duas vezes

Um abraço, cara!

Leandro disse...

legal o poema, me senti numa taverna no sec XV, bom blog, adoro o tema vinho, hum acho que irei abrir um cabernet,

falow

teh mais!

visite: http://youngworld.blig.ig.com.br

rato contra a vassoura disse...

contra a corrente...
e vazio por dentro...

sério que eu senti o quanto a nossa vida é vazia de sentido quando li esse poemas, apesar das ótimas imagens

p.s: se puder comentar meu post sobre Chaplin, eu agradeço

http://artepoiesis.blogspot.com/

Janete disse...

Amei
Parabéns pelo Blog e pelo belo poema.

Se quiser dar uma conferida depois:
www.donadecasaquasedesesperada.blogspot.com

gaspar bezerra disse...

o blog ta show

Frank Morgan disse...

Cara,eu não tenho nem o que comentar direito.
Eu adoro seu blog pelos belos poemas que você posta e pela qualidade do seu template.
Sensacional.
Um grande abraço.
http://polvoloko.blogspot.com/

César Fernández disse...

um arraso, como sempre :)

Vinícius R² disse...

"No findar de mais uma noite
Adivinho o destino."

Também costumo fazê-lo - ou pelo menos tentar - mas sem vinho e fogo ao fundo. Principalmente nesses dias de calor avassalador aqui em Goiás.

Mas quem pode mesmo adivinhar o destino? O medo do futuro, os planejamentos e experiências já vivenciadas são fundamentais, mas nunca nos concedem previsões. Não sei se concordo em dizer que o tempo seja mesmo cristalino.

Contudo, o vinho tinto sempre encontou. A cor enigmática, o aroma divino, o gosto insaciável.

Belíssimo poema.

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

Queremos mais poesias nuas, cruas, de aurora sinsível, nos mangues, com sangues, andantes...

aehueahueah

Meerstempel Badist disse...

Ótimo poema, gostei mesmo!

Se puder comente sobre esse aqui.
http://badist.blogspot.com/2007/12/o-copo.html

Arthurius Maximus disse...

Sem dúvida o vinho exerce um poder sobre nosso imaginário. Talvez por estar ao lado do pão, como um dos primeiros produtos de manufatura feitos por nós.

Um poema instigante e bem elaborado.

gabi delarge disse...

Doce, marcante, e profundo... Como vinho e alguns acontecimentos da vida...
E, certamente, aberto para mais de uma interpretação!

José Vitor Rack disse...

maravilhoso seu blog, parabéns.

Fábio Buchecha disse...

Acho que é a coisa mais sensitiva que já li. Inveja de seu texto =]

Parabéns!

___________________________________
TemPraQuemQuer <<< Entra!

Kléber Tanide disse...

Muito bom mesmo, parabéns!
Sucesso!
Forte abraço.


Kléber Tanide
http://ideiasloucas.com

Caroline disse...

Sangue e vinho... misturados jorram letras, essa linda poesia!
Adorei o blog !

João Paulo disse...

Simplesmente FANTÁSTICO!
Quando crescer quero poder dominar as palavras e idéias como você.

Um grande abraço.

Louise Mira (Luly) disse...

Amo aliterações no poema!

As suas estão ótimas!!

sucesso!

blog disse...

Pareceme que vc assumiu o neo-simbolismo mesmo.
Bom.

Abstracionismos, em nossa época, é sempre algo arriscado.
Mas acho ue vc se sai bem.
E Corbiére, do túmulo, manda lembranças.

Nana Lopes disse...

Como ja xomentei sobre o poema, to passando pra te deixar uma bjka

Nana Lopes disse...

*comentei,kkkk

Daniel Moura disse...

Belas palavras...
Legal o blog...

passei paradar uma olhada

Abraços do Dan

:: Ana Paula Barros :: disse...

belo texto,
bela foto!

MH disse...

Eu ja visitei esse blog outras vezes, e sempre leio textos muito bonitos. Show de bola.

plyniolp disse...

caraca...
se foivc msmu que escreveu so tenho uma frase pra definir o que stou sentindo:


*****TÔ BEGE*****

MUITO bom velho
muito mesmu
parabens.

oficioliterario disse...

Te adicionei nos favoritos do meu blog, ok?

Abraço.

^_^

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

Tu que tirou essa foto do vinho?

Leandro Bastos disse...

bom poema hein vinho e sangue são líquidos dois mais fortes.
vou voltar aqui mais vezes. :}

Antonoly disse...

Vinho e Sangue, o primeiro nos dá muito prazer e o segundo nos dá a vida!
Bela dupla!!!!

www.ooohay.wordpress.com

Lucas disse...

Excelente poema, voltarei sempre no seu blog. Flws!

www.oapanhador.blogspot.com

Jefferson Barbosa disse...

As comparações são otimas. A essencia charmosa. Parabéns.

Gugu disse...

Muito bom. Desde já meus parabéns pelo blog, gostei desta postagem e também das outras.

debora hegedus disse...

Vinho me dá um negóço moço que nem sei ixpiricá... rsrsrs

Bebo somente dois tipos de bebida, basicamente, Vodka e Vinho, cada um tem sua hora... rsrsrs

Beijo e cadê o DVD ????

debora hegedus disse...

Vinho me dá um negóço moço que nem sei ixpiricá... rsrsrs

Bebo somente dois tipos de bebida, basicamente, Vodka e Vinho, cada um tem sua hora... rsrsrs

Beijo e cadê o DVD ????

Danilo Moreira disse...

Adorei o poema.
Nós deveriamos ser sempre como o vinho: elegante, apreciável, e cada vez melhores com o passar do tempo.

Te indiquei pra um prêmio e tb to te linkando no meu blog, blz?

Abçs

http://emlinhas.blogspot.com/

Lya Lopes disse...

Eu consegui!Eu consegui!Eu consegui!Eu consegui!

Demorei, mas consegui comentar aqui!

Sangue, parece que isso anda me perseguindo ultimamente, livros de vampiros, musicas sanguinolentas, e agora poemas. Meu Deus espero que isso não seja um mau presságio. O.O Credo.

Ainda assim é um lindo poema!

Jeff... disse...

nabokov ja fez melhor

abraço

Frank Morgan disse...

Olá amigo.
Ta sensacional seu blog,depois atualiza ai com mais alguns poemas.
Abraços.


Participe da promoção:
http://polvoloko.blogspot.com

Meerstempel Badist disse...

Vinho sangue vermelho, assim que o vir verá o que é se é sangue ou vinho.

Net Esportes disse...

esse poema também está muito bonito !!!

Fernando Assad disse...

Fogo ao fundo
No findar de mais uma noite
Adivinho o destino

O trecho que mais gostei foi este. Belo poema!
Abraços!

(http://novelodigital.blogspot.com)

Arne Balbinotti disse...

Adoro vinho, adorei o poema...
Acho que vou beber mais um pouco... ontem so foi meia garrafa.
Abraços