sexta-feira, 1 de agosto de 2008

ASTRO REI

Contorna & volta
Continuamente, gira voltando sempre
Inquieto
Bailando no ar, movimenta - tenta...
Que fosse então
Uma rajada de beleza
Constante
Gostosa
Fico – então...
Contemplando estrelas
A Lua...
A brisa inusitada
No Aforismo de pensamentos inquietos
Transmutado em funesta criatura
Vou Demarcando Sopros
Perpetrando sempre o regressar
Volta sempre, traz novas evidências
Em forma de vento breve...
Em aura continua, mágica folhagem arremessa, vai.
Lava a terra, lava expressões – leva missivas precisas
Em mim, no ar, nos arrabaldes
É só...
- O preciso, precioso “Vento”.
Ao "SOL"
Reinando nas cinco direções
O Astro Rei vai iluminando trilhas
No quinto caminho
Sob e sobre nossas cabeças - Inícios - Recomeços
Ao meio dia
Não existem sombras.

Everaldo Ygor - Julho/Agosto 2008.

35 comentários:

Alê disse...

Muito interessante o POEMA, você escreve muito bem .. hehehehehe ..

Excelente BLOG !

Vlw pelo seu comentário em NOSSO BLOG !

Visite meu blog
www.muitosobrealgo.blogspot.com
Atualizamos a pouco tempo.

Ane disse...

Que legal!! Queria aprender a escrever poemas tb. Por enquanto fico nos contos e crônicas.

Ah, como você fez para mudar o nome nos "Comentários"??

Abraço!

Felipe disse...

bacana o texto.

Ricardo Jung disse...

papai é muito legal... principalmente quando acorda a gente de manhã... mas eu prefiro a mamãe

blog disse...

Não esperava um poema dirigido a um alvo tão concreto.
Acostumei-me a ler seus textos sempre na esperança de ir ao encontro da abstração mais profunda.

Não sei...acho que preciso ler mais vezes., principalmente quando o "eu-lírico" toma as rédeas do texto, participando dele.

Relerei.

Marcelle e Morgana disse...

Muito bonito o poema :)
beeijinhos Moor ;*

fábio C. Martins disse...

Sou adepto à Lua. Gosto do Sol, assim como o Ricardo Jung, porém, acho a Lua muito mais interessante, muito mais inspiradora.

Abraços
_________
Folhetim On Line

Leonardo Dognani disse...

muito bonito e profundo^^

explorando os elementos naturais da vida, e citando em partes atributos de michael, desenvolve bem o poema^^

mesmo sendo um estilo diferente do meu, é sempre bom ler e viajar em su prosa^^

Abraços.

greatdj disse...

Muito legal o poema!
Achei mto lindo como vc fala do sol.
Mto legal

Kaique S. T. disse...

O que mais gosto no seu poema é a profundidade empregada.

Abraço

Bill Stein Husenbar disse...

Muito bom.

Parabéns pelo dom.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Ana disse...

Você trabalhou muito nas férias?! AHuahauahua... que horror.
Bem, tenho certeza que apreciar bons livros compensou. ;)
Obrigada e volte sempre,
Beijos

Reporter x disse...

nóssa muito bom o poemaa, nóssa sou pessimo pah fazer poemas, um dia eu consigo, eu juroo
=X

Ana disse...

obrigada pela visita no Redescobrindo SP!

te mais!

Zeca disse...

Não! Nesse número 9 do Casulo não tem texto seu. Ygor, meu caro, o velho "jack" ainda nos espera.
Abraço.

Camilo C. de Andrade disse...

Caraaaaaa isso foi bom, eheheh! Ganhou um fã ao falar do astro-mestre como um mestre... heheh show o poema...

Abração!

www.veracidadesocultas.blogspot.com

rosangela disse...

Gostei muito parabéns!!

Abç..

Leonardo Dognani disse...

quando vc foi lá na Floresta, e me mostrou a diversidades dos comentários, vejo por aqui a mesma coisa, cada um se expressando e manifestando visões e sentimentos diferentes sob o Astro Rei.

muito bom quando desperta inúmeras reações, quer dizer q é bom o suficiente paa atingir as emoções das pessoas, ao invés de somente ao intelecto.

Abraços.
=)

berenice disse...

Everaldo.
Que lindo poema ao nosso rei de todos os dias! Embora não goste muito do calor, prefiro o frio, amo o sol! Acho o nosso rei o motor que move nosso mundo e nossa vida. Os antigos eram muito sábios em reverenciar este poder da natureza!! Parabéns!

Abraço
Berenice

Rita Costa disse...

Muito bonito esse poema.
Gostei de conhecer seu blog.
Parabéns pela poesia e o bom gosto. Um abraço

jose.maffei disse...

Boas as imagens que você cria no texto. Abraço!

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias

Abraço

Patrycia disse...

Do texto à imagem, para mim tudo foi um sopro de esperança de que dias melhores sempre chegam.

Lindas palavars, como sempre!

Patrycia

Selene Valdragon disse...

ode ao Sol
nosso rei!
lindo!!!

Selene Valdragon

Lara Lírica disse...

Olá, Everaldo Ygor.

Legal você aparecer no nosso blog. Parabéns pelo seu poema Astro Rei. Temos um prêmio para você, um livro da Ediouro. Entre em contato pelo e-mail livros.literatura@gmail.com.

Abraços, Lara.

Fabio disse...

muito bom o poema!

> Bob Huns® disse...

legal o poema
o sol nosso astro rei
é mesmo fabuloso


abraços

http://blogaragem.blogspot.com
http://www.orkut.com.br/Community.aspx?cmm=48465553

Heitor Evo disse...

belo poema

adoro o Sol e este poema o espressa bem

Erich disse...

Belo poema ... pelos comentários a família tbm gostou muito né.

Kaique S. T. disse...

Belo poema. Várias alusões sem perder o foco do tema. Muito bom!

Euzer Lopes disse...

Nossa...
Se era pra arrepiar, conseguiu.
Interessante é que depois, quando a gente encontra o sol, passa a "vê-lo" de uma forma diferente.
E a foto? Digna de ser papel de parede no computador.

Leandro de Souza disse...

voce escreve muito bem muito bem mesmo

http://www.vocefazhistoria.blogspot.com/

Lalo Oliveira disse...

Inquietíssimo! Quando brando, é até bom, quando reivoso, é incômodo. Mas no que se refere à beleza, é lindo, sempre.

A poesia tem boas idéias, sacadas, percepções... =]

Lalo Oliveira disse...

raivoso*

All3X disse...

Muito legal esse texto.
Ao lê-lo dá-se a impressão de estar sendo levado pelo vento ao Sol.
Uma boa sensação...