terça-feira, 20 de maio de 2008

Zélia Gattai, Jorge Amado & Borboletas, Lembranças e Homenagens...

Nesse mundo
Em outros – talvez...
Existam borboletas
E também
Existam gaiolas
E nelas
Nas gaiolas abertas,
Alguns pássaros vêm saciar a sede - a fome
Alguns apenas por alimento, outros por linhas e cores.
Outros, ainda
Com asas fraturadas
Buscam apenas
Palavras & Versos - o alimento.
São Gaiolas abertas, fechadas, semi-abertas, serradas...
São apenas os pensamentos...
E as Borboletas, antes casulos.
Com suas cores e desenhos mágicos
Vivem rápido...
Como poemas breves - efêmeros
Borboletas vivem dois dias,
Duas semanas,
Seis meses e até um ano...
Eu vivo poetando...
Será que Jorge Amado e Zélia Gattai viveram muito?
Foto: Everaldo Ygor
19 e 20 de Maio.

38 comentários:

Patrycia disse...

Viveram muito, mas não o suficiente!! rsrs

Realmente, perdemos grandes nomes!

Patrycia
acendedordelampadas.blogspot.com

niagarafools disse...

O maior amor do mundo! Essa é minda definição de Zélia e Jorge.
Imagino sempre que gandes amores como esse não morrem, viram algo maior: força,luz, inspiração. Talvez tenham virado sonhos infantis ou quem sabe, borboletas.

Um grande beijo!

Denise Machado disse...

Respondendo:
Juntos e individualmente, viverão eternamente.
Tenho amor e ódio por Jorge... Amo o modo questionador e inteligente que sempre teve na ABL. Odeio ele ter deixado a Globo fazer da Gabriela dele, pessoa que existiu e viveu quase tudo que ele escreveu,outra, enquanto na verdade, era loira,de olhos verdes e nada sexy.
Sinto Zélia ter deixado de brilhar para lustrar J. Amado.
Mas era mesmo um lindo casal.
Bela homenagem, Livro.

miller disse...

Muito massa!!Apesar de eu nao ter custume de ler esses tipo de texto parece ser legal..pra quem gosta.

Rafael Zuchi disse...

Cara vc sabe que eu tenho um relação não muito boa com Jorge Amado e anfins... tipo um trauma escolar... é uma pena mesmo, mas acho que nunca terei tal admiração como você.

Rafael Zuchi

Marcelo disse...

Acho que Zélia e Jorge Amado foram as borboletas mais longevas da história... ainda bem

Wander Veroni disse...

Olá!

Bonita homenagem a escritora Zélia Gattai.

Abcs,

=]

Jeff McFly disse...

Viveram muito, o sificiente e já foram tarde. Desculpa a grande sinceridade, mas essa é a minha humilde opinião.

Porém, a sua homenagem a Zélia foi bastante bonita. Pessoalmente eu gostei. Tu escreve bem e é o que importa.

No mais, vamo que vamo.

danisiinha disse...

pessoas que tinham o que eles tinham pra dizer... nunca vivem o bastante .... mas de alguma forma continuam vivos em todas as paginas, e no coração dos que leem...

muitas borboletas moram em mim...


www.daniilopes.blogspot.com

blog disse...

Gaiolas "cerradas" ou "serradas"?

Altamente metafórico, meu caro - como sempre. Uma reflexão sobre o que é a vida e suas limitações.
Recomendei seu blog para alguns alunos meus que queriam conhecer neo-simbolistas.
Ainda não tive retorno deles.
Mas terei.

Abraço, camarada.

O Blogueiro disse...

muito bom o post!

mas uma grande pessoa que o Brasil perde


abraços

Gabriel disse...

parabens pelo blog!

UNDERGROUND. disse...

Viveram o bastante para serem eternos...

=D

DAN disse...

Cara, muitas vezes me pergunto se esse tempo de vida dos artistas foi "ideal" ou não, nesses casos acho que não, e sua definição foi ótima, mas em alguns casos eu vejo como limite quase premeditado.

É muito difícil prever mas se vivos, sem dúvidas renderiam muito mais.

http://www.pontodcom.blogspot.com/

mundo a fora disse...

a arte é eterna!


divulgue seu blog MUNDO A FORA, aguardo sua visita.

* hemisfério norte disse...

olá Ygor!
vc às vezes desaparece :)
mas regressa sempre de rajada.
sempre com poemas fortes.
é bom "viver poetando" e buscar palavras e versos. :)
obrigada pelo teu carinho
bjs
a.

Lizzie disse...

Eu penso que poetas não deveriam morrer. Rsrs.
Bom, creio realmente que a obra, que é a parte imortal do autor, não morre jamais.E eles viveram, muito. Nos deixaram legados lindos, vide: Capitães da areia. Me encantou sempre a idéia de falar da vida sem metáforas, e isso eles dois conseguiram muito bem.

Foi uma perda esse ano. E outra perda há alguns anos atrás.
Mas o certo é que as emoções que eles nos deixaram duram pela eternidade.


Beijocas
www.lizziepohlmann.com

Karla Hack disse...

Amor de Poetas é Eterno!!
LIndíssima homenagem...
Versejar encantado!

Amei


;D

bjus

Nanda Kiedis Declama disse...

Linda homenagem, ótima iniciativa de homenager pessoas tão importantes para nossa literatura com literatura.

Bjs

Alcione Torres disse...

Lindo, lindo!

India disse...

Linda homenagem, Everaldo. Amei!

Grande abraco.

Flor disse...

Obrigada por comentar no meu blog...
Agora em relação a Zélia, uma hora eles vão embora e temos que ficar aqui com o que foi deixado deles!!!
Sem contar o amor de ambos...
Triste muito triste!!!
Beijos
http://estoucomapalavra.blogspot.com/

Patricia disse...

Oi!!
Vi seu blog na comu do Orkut e vim conferir!
Gostei, achei bem legal!

Passa lá no meu tb:

http://blogdapattyandrea.blogspot.com

Carol disse...

...três mil horas, até pararem de se beijar.

ED CAVALCANTE disse...

A ZÉLIA NÃO MORREU AGORA, ELA SE FOI JUNTO COM O JORGE. QUANDO UM CASAL VIVE APAIXONADO A AUSÊNCIA DO OUTRO É PIOR DO QUE A MORTE. SE VIVERAM MUITO OU POUCO EU NÃO SEI, MAS COM CERTEZA VIVERAM BEM!

DuDu Magalhães disse...

há dias que não venho aqui hem... falta de tempo, problemas, etc. fizeram com que eu ficasse meio longe da net nos ultimos dias... cara, A sua escrita é mágica, é delirante, parece que pode não parar nunca, há sempre palavras a reinventar, há sempre novos sentidos para a palavra amor, para a palavra “andança”, para a palavra "outras", para a palavra alma... para a palavra: Palavra! As sensações que tenho quando leio seus poemas ficarão aqui sempre suspensas, presas pelo desejo do real, que se impõe ao virtual. A vontade de sair daqui e viajar caminhar pelas estrelas será sempre prisioneira de eu mesmo. Os sentimentos aqui serão sempre intensos e efêmeros. Loucos de desejo, mas presos pelo dedilhar de teclas que nos apaixonam, que tu deixas por aí, ou aqui. E com estes sinais a preto que tocam ao de leve a alma e o corpo...

Abrass... quiser conferir meu blog..

http://visaocontraria.blogspot.com/

Alyne disse...

Que lindo seu blog, Everaldo! E linda poesia tbm...sobre viver muito ou pouco, nunca achamos que quem morre viveu o suficiente; mas acredito que eles viveram, pelo menos, o suficiente para serem eternizados através de suas obras!
Abraços!

Luciano disse...

Gostei dos seus poemas,estou começando arriscar alguns contos,poesias,de uma olha,comente,se te interessar, de sua opinião///ok

Philipe disse...

Parabens pelo blog realmente o conteudo e muito bom continue assim

Pasa la no meu tbm axo q vc vai gostar tem um poco a ver

www.philipecardoso.com

Camila Cavalcante disse...

Nossa, adorei o poema... Borboletas... adoro.... Q foto mais original, amei!!

se puder, visite meu blog

http://www.devaneioconstante.blogspot.com/

Tbm é mais de poesias xD

Abraçoss

Tyler Bazz disse...

Se viveram muito, não sei.
Mas viveram muitos anos, fato.

ED CAVALCANTE disse...

JÁ COMENTEI, MAS É SEMPRE BOM CELEBRAR UM GRANDE AMOR: ZÉLIA E JORGE!

Carlos disse...

Gostei muito do poema, Everaldo.
Abraços!
Carlos
cocotidiano.blogspot.com

Ingrid disse...

É. A casa do rio vermelho vai ficando cada vez mais triste e vazia!

* hemisfério norte disse...

passei
e.....
1 beijo
deixei
:)
a.
http://miniminimos.blogspot.com/

Grazi disse...

Viveram tempo suficiente para se tornarem eternos!!!

http://sdqwishlist.blogspot.com/

Elimar Renner disse...

Legal os comentários, muito bom o texto.

Leonardo Dognani disse...

embora nossos escritos sejam diferentes, tenho que dizer que realmente sabes tb adicionar elementos de vivências e de segredos em seus poemas^^

e sabes ver o iniciático tb na arte^^

como sempre parabéns pelos versos, numa prosa que nos leva a pensar no ser humano, mesmo que em uma homenagem, que diz muito mais nas entrelinhas^^

Abraços.