sexta-feira, 21 de setembro de 2007

POEHORAS II

Infiéis temporais...
Everaldo Ygor

POEHORAS Poemas de Tempos e Horas, Infiéis Temporais De EVERALDO YGOR

2 comentários:

RENATO - O SARDO disse...

No começo, ele perguntou sobre liberdade. Curiosidade doída de difícil resposta, que provocou-lhe buscas das mais diversas, pesquisas infindáveis, leituras nem sempre agradáveis.
Percorreu vários caminhos, que lhe trouxeram muitas respostas, mas, ainda mais dúvidas.
Certezas absolutas do passado tornaram-se irrelevantes. Grandes descobetas viraram bobagens de adolescente. Amigos vieram e se foram para nunca mais.
Tudo para serem substituidos por novas certezas, maravilhosas descobertas e grandes amigos.
Talves suas buscas o tenham levado somente a algumas das estações da liberdade para adquirir um conhecimento abstrato de que ela está justamente na possibilidade de trilhar tantos caminhos, perder-se e achar-se, saber e ignorar, fazer rir e chorar, viver e ser vivido...

Anônimo disse...

Poehoras, o que é isso?
Comentario poema.