terça-feira, 9 de outubro de 2007

TEMPO


Em tempo algum
Eles pensaram em tempo
Em tempo perderam o espaço
Sob o tempo ela se corroeu
E o tempo foi passando
E a engrenagem enferrujando
E os corpos envelhecendo
E o tempo
Sempre renascendo
As vidas se foram
Não houve trégua para o tempo
Mas...
O tempo ficou
Junto com ele uma inscrição
Que já dura milênios
Através do tempo
E que diz
Algo sobre o tempo
Que ecoa aos ventos
Ela diz...
Estação Liberdade (Da Existência do Ser)
Do livro Estação Liberdade (Da Existência do Ser) p.55 - 1992. ESGOTADO.
Everaldo Ygor

3 comentários:

Lexotan disse...

Estação liberdade!

=)

Marlene Ines disse...

O tempo nas mãos,
pegá-lo...
escorrem...
O tempo perfeito/imperfeito
Tempo misturado a imagem
macia como o tempo...

blog disse...

Nada como o tempo, para passar.
Frase do Vinícius, claro, mas que revela a impotência nossa diante daquilo que nos faz viver.
O Simbolismo era menos intenso nesses primeiros textos.

Vale.